nota-de-repúdio

Nota de repúdio: Hospital da Unimed

A Associação dos Cabos e Soldados da PM do RN (ACSPM/RN), por meio do presidente Roberto Campos, repudia veementemente o ato de discriminação do Hospital da Unimed contra um policial militar em serviço.

O soldado acompanhava o colega de profissão que estava em atendimento na Unidade quando funcionários pediram que ele se retirasse do local, pois a presença de um PM fardado e portando uma arma estava causando “constrangimento”. O hospital chegou a pedir que o policial deixasse a arma fora da unidade como condição para entrar, sob pena de delatar a situação aos superiores.

A ACSPM/RN explica que o policial militar em serviço tem o direito de andar armado sem ser “convidado” a se retirar do local. O constrangimento quem passou foi o soldado que estava impedido de exercer a profissão e proteger a população que clama por mais segurança.

O estatuto do desarmamento dispõe que o porte do PM é funcional e permite o uso da arma de fogo, inclusive estando de folga.

Diante da atual crise na segurança pública onde os policiais estão sendo “caçados”, deixar um PM fardado sem arma seria o mesmo que assinar a própria sentença de morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *