arq562794877a98b

Representações de praças cobram providências do governo sobre atentados contra PMs

Os últimos números da violência contra policiais militares do Rio Grande do Norte vem trazendo preocupação para toda a categoria. Somente do início do ano até o mês de outubro foram registrados cinco assassinatos e dezenas de atentados na capital e nos demais municípios.

Diante do quadro de insegurança, as entidades representativas de praças solicitaram ao governo medidas urgentes para frear a violência contra aqueles que combatem de frente o crime. De acordo com o presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da PM do RN), Roberto Campos muitas são as razões para o crescimento das ocorrências envolvendo policiais como vítimas, porém uma delas é vulnerabilidade dos profissionais quando estão nos serviços extras cada vez mais praticado por causa da ausência de uma remuneração digna. “Estamos conversando com o governador e mostrando para ele a necessidade da garantia de uma política justa se tratando da remuneração do policial, dos pagamentos da diárias operacionais e do comprimento de acordos já fechados em outras ocasiões”, relatou.

O governador Robinson Faria se pronunciou sobre a realidade de atentados e mortes, vivida hoje pelos agentes da segurança pública. O chefe do executivo disse que vem acompanhando os fatos e que pediu pessoalmente para a secretária de Segurança Pública, Kalina Leite, celeridade nas investigações de todos os casos registrados. “Eu confio muito na minha equipe da pasta da seguranca, sei que a situação é grave e por esse motivo o setor de inteligência já está apurando esses casos com muita seriedade”, disse.

O último caso de violência contra policiais militares aconteceu na noite desfa segunda (19), a vítima foi o Cabo da companhia de guardas de presídios, José Queles Pinheiro. O PM reagiu a um assalto e foi baleado enquanto dirigia em uma das ruas do bairro Lagoa Azul. Depois de socorrido o policial não corre risco de morte.

FONTE: PORTAL BO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *